Entediar-se não é uma opção

Programar um novo sistema é como projetar seu próprio mundo. É preciso descrever como as coisas vão interagir e como as mudanças vão se propagar no ambiente. Os programadores podem começar com nada mais que uma idéia, materializá-la em código e produzir algo vivo. Como bônus extra, suas criações podem ainda ajudar a resolver algum […]

EclipseFP fazendo história

Na última quinta-feira (dia 25) foi divulgada a versão final do artigo A History of Haskell: being lazy with class de Simon Peyton Jones, Paul Hudak, John Hughes e Philip Wadler. O artigo vai ser publicado na terceira Conferência de História das Linguagens de Programação (History of Programming Languages Conference – HOPL-III), a ser realizada […]

Podcast estreando

Eduardo Fiorezi publicou ontem o primeiro episódio do que espero que seja uma longa série de podcasts sobre desenvolvimento de software e eu tive a honra de ser o primeiro entrevistado do programa. Ele está bastante interessado em abordagens ágeis, tecnologias para aumentar a produtividadefelicidade do programador e novidades na área de desenvolvimento de software. […]

Elephant typing

Devido à recente explosão de popularidade das linguagens dinâmicas, você provavelmente já deve ter ouvido falar de duck typing. É a noção que o tipo de um objeto é determinado exclusivamente pelas mensagens às quais ele pode responder. Se dois objetos quaisquer respondem a um mesmo conjunto de mensagens, eles podem ser considerados do mesmo […]

Andando de costas

Aqui vai um pequeno resumo de como adiciono recursos aos meus sistemas: Eu identifico (ou alguém me chama a atenção para) alguma necessidade Escrevo alguns testes para a necessidade Escrevo o código para fazer os testes passarem Depois que os testes estão devidamente esverdeados, reestruturo o código para que fique um pouco mais elegante Repito […]

Máquinas carentes

Então você pensava que receber atenção era uma necessidade exclusivamente humana ou no máximo do seu cachorro — ou gato, não quero começar uma guerra cães vs. gatos aqui. A novidade é que isso acontece com máquinas também. Olhe estes velocímetros, por exemplo: O velocímetro da direita é uma dessas máquinas carentes. A graduação é […]

Ano novo, linguagem nova

Não que seja algum tipo de tradição pessoal de ano novo, está mais para coincidência. Mas ano passado, mais ou menos no começo do ano, comecei a estudar Ruby. Minha experiência anterior sempre tinha sido com linguagens compiladas e eu estava me interessando bastante pelo lado dinâmico e interpretado da vida. Aconteceu de Ruby estar […]